500 policiais civis atuarão nas eleições; mais que o dobro de 2016

Compartilhe: wapp

Concurso-PC-PICom a proximidade do período eleitoral, a Polícia Civil destacou 500 delegados, agentes, escrivães e peritos para atuarem diretamente no plano de segurança montado para o dia das eleições de 2018 em todo o Piauí, que acontece no próximo dia 7 de outubro. O número representa um aumento de 300 policiais em relação às eleições municipais de 2016. 

De acordo com o delegado geral, Riedel Batista, uma portaria publicada no Diário Oficial determina que todos os policiais civis lotados em cidades do interior permaneçam nos municípios para auxiliar no registro de ocorrências durantes as eleições. “Nós também vamos reforçar as cidades que tem uma maior concentração de eleitores com equipes da capital”, afirma o delegado.

Segundo ele, a Polícia Federal estará de prontidão para auxiliar a Polícia Civil no combate aos crimes eleitorais em alguns dos municípios do interior. “Vamos ficar de prontidão no sentido de receber qualquer infração cometida durante os dias que antecede o pleito e no dia do pleito, como transporte irregular de eleitor, captação irregular de sufrágio e outros crimes comuns, como discussões em locais de votação, tumulto e boca de urna”, explica o delegado geral, Riedel Batista.

PC terá 500 policiais civis atuando nas eleições; mais que o dobro de 2016. (Foto: Arquivo O Dia)

PC terá 500 policiais civis atuando nas eleições; mais que o dobro de 2016. (Foto: Arquivo O Dia)

As denúncias de crimes eleitoral continuarão sendo feitos pelo aplicativo Pardal do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Assim, qualquer crime denunciado através do aplicativo será repassado para a Polícia Federal ou para a Polícia Civil, de acordo com a competência e atribuições de cada um dos órgãos.

Prisões e venda de bebidas alcoólicas estão proibidas no dia das eleições 

Seguindo o que determina o artigo 260 do Código Eleitoral, a Polícia Civil não poderá cumprir mandados de prisão e nem deflagrar operações cinco dias antes e até 48 horas depois das eleições. Com as eleições acontecendo no dia 7 de outubro, a proibição entra em vigor a partir do próximo dia 2. Contudo, as prisões em flagrante continuarão sendo realizadas normalmente durante o período eleitoral.

Sobre a venda de bebidas alcoólicas, o delegado geral adiantou ao O DIA que uma portaria determinando a proibição da venda de bebidas alcoólicas deverá ser publicada nos próximos dias. Com a proibição, os estabelecimentos comerciais não poderão comercializar bebidas com teor alcoólico a partir das 0h do sábado, 6 de outubro. A medida visa manter a tranquilidade durante o período eleitoral.

Fonte: Portal O Dia