Separata do Município de Parnaíba do livro O Piauhy no Centenário de sua Independência 1823 – 1923

Compartilhe: wapp

Separata do Município de Parnaíba do livro O Piauhy no Centenário de sua Independência 1823 – 1923

(Parte IV) 

Chegamos a parte IV, última e conclusiva, da Separata do Município de Parnaíba do livro O Piauhy no Centenário de sua Independência 1823 – 1923, trecho escrito pelo notável e provecto José Pires de Lima Rebelo. Juntem às anteriores e terão uma obra de relevo, um retrato da Parnaíba de 1823. O Piauí comemorava a sua Adesão à Independência do Brasil, quando a então capital da província, Oeiras, se manifestou a favor do nosso país, em 24 de janeiro de 1823. O 19 de Outubro como Dia do Piauí só veio em 1937, data da Proclamação de Independência do Brasil, em 1822, quando os parnaibanos liderados por Simplício Dias da Silva levantaram o brado de liberdade, apenas 42 dias depois do 7 de Setembro às margens do Ipiranga. Segue:

***

Todo este serviço comercial é feito em grande parte para o interior do Estado e ribeirinhos do Parnahyba.

Como grandes casas exportadoras avultam Delbão Rodrigues & C., Almeida & Neves, José R. P. de Carvalho & C., James Frederik Clark & C., Nordmann & C., Samuel Bompet e J. narciso & C.

O movimento total de exportação apresenta, no biennio de 1920-1921, uma media anual de quatorze mil contos de réis.

Como importadores grossistas destacam-se Moraes Santos & C., James Frederik Clark & C., J. Narciso & C. e Franklin Veras & C.

O movimento total de importação ascende a mais de cinco mil contos annuaes.

Afinal vêm as casas de comissões, consignações, representações e retalhistas em numero de mais de 200, não se computando as mercearias, quitandas etc.

O porto da Parnahyba tem cerca de meio kilometro de cães sobre o qual passam em carga e descarga anual, mais de quinhentos mil volumes. Infelizmente não é devidamente aparelhado.

Para gêneros inflamáveis e artigoas nocivos á saúde publica, o município mantem magníficos armazéns e deposito de pólvora.

Há na cidade dois bons estaleiros com doca e oficinas para reparações navaes.

Também h´s três fundições, três typographias, uma livraria, dois cine-theatros etc.

O commercio bancário do município é feito pela sucursal do Banco do Brasil e pelas casas bancarias José R. P. de Carvalho & C., Marc Jacob, James frderik Clark & C., Almeida & Neves etc.

Já em 1920 elle ascendia a cerca de cincoenta mil contos; no emtanto com a crise que se seguiu ao artmisticio, decahiu algum tanto.

No ultimo anno de 1921, ele alcançou novamente a quantia de quarenta mil contos.

Varios bancos têm representantes e fazem cobrança e compra de cambiaes em Parnahyba; entre outros o Ultramarino, o River Plate e o London & Brasilian Bank.

FINANÇAS – O município de Parnahyba nada deve a não ser cerca de cincoenta contos de divida flutuante e algumas outras contestadas e em verificação.

Os últimos orçamentos têm tido os seguintes algarismos na receita e na despesa realizadas:

                                                    RECEITA                                   DESPESA

                 1917                         143:210$712                              126:350$842

                 1918                        160:843$966                             176:827$196

                 1919                         201:153$976                              204:349$022

                 1920 (*)                  182:       $                                    227:681$594

                 1921                         182:803$210                             152:769$210

                 1921                         221:018$910                              203:324$960

(*)   os dados referentes a 1920 não são definitivos.

PATRIMONIO – O patrimônio municipal está representado por:

           Edificio do Conselho                                   30:000$000

           Armazens Municipaes                                  200:000$000

           Mercado                                                          100:000$000

           Curro                                                                 20:000$000

           Deposito de pólvora                                          5:000$000

           Deposito de carroças                                         5:000$000

           Usina e instalação electrica                         340:000$000

           Patrimonio (quatro léguas em quatro)    400:000$000

                                                   Total              Rs.     1.100:000$00   

Dos dados acima, vemos que cada parnahybano possue na Communa 36$000 réis e contribue com 6$300 réis annuaes, aproximadamente.

A despesa tem sido assim distribuída:

           Conselho                   2%

           Administração         30

           Ensino publico           7

           Obras publicas          25

           Divida passiva            14

           Hygiene e socorro      5

           Desapropriações         2

           Saldo                            15 

VIAS DE COMMUNICAÇÃO – Parnahyba está situada no ponto de confluência de dois portos abertos ao commercio – Tutoya e Amarração.

Ambos se intercomunicam com ella e com todo o Piauhy pelo rio Parnahyba.

Até há pouco não tínhamos um palmo de estrada de ferro e os 100 kilometros que agora já temos ainda não alcançam os centros commerciaes do interior.

O ramal que nos liga á Amarração mede 13 kilometros, dependendo sua franquia da construção do terceiro vão da ponte do rio Portinho com 40 metros de abertura.

Seis kilometros e meio ligam a cidade ao Igarassú e 32 á Estação de Bom Principio.

De Bom Principio ao kilometro 94 já se estão assentando trilho; e dahi ao kilometro 147, onde se acha a cidade de Piracuruca, o leito está preparado.

Nestes trechos há como obras d’arte, a ponte do Portinho, a do Pirangy, vários pontilhões, estações e oficinas.

O rio Parnahyba é trafegado por embargações cujo registo na Capitania do Porto de Parnahyba monta a tonelagem bruta de quase 5000 toneladas.

No mesmo registo constam pequenos barcos de navegação da costa com tonelagem que não alcança o bruto de 600 toneladas portanto os navios de porte que tocam em Tutoya e Amarração têm registo em outros portos.

As demais condições relativas a estradas de rodagem, automóveis, etc., são as mesmas deploráveis, comuns a todo o Puahy.

CORPORAÇÕES – O espirito corporativo tem tido enorme desenvolvimento em Parnahyba. Forçada a conatr comsigo mesmo e urgida pelas necessidades geraes que o seu desenvolvimento tem tornado instantes, a nossa cidade vai augmentando as iniciativas e procurando na associação a força de que os indivíduos não podem dispor.

A Associação Commercial tem sido um exemplo, nesta ordem de factos, procurando defender, estudar e expor todos os problemas vitaes do commercio piauhyense e local.

Com associações de previdência temos a Garantia das famílias, a Protectora Parnahybana e a Protetora dos Artistas.

Associações de classe contamos a dos Artistas Mechanicos e Liberaes, a dos Maritimos e varias outras de operários.

Como órgão dos auxiliares do commercio temos o Centro Caixeiral.

Clubs desportivos temos alguns de importância não só local como mesmo de vulto a serem conhecidos em todo o Brasil, como sejam o Parnahyba  e o International, aos quaes se filiaram 12 outros clubs de menores proporções e riqueza.

Entre as corporações religiosas e beneficentes temos a Santa Casa de Misericordia de Parnahyba que, fundada aos 26 de abril de 1896, e mantida por seus sócios.

Apesar de ter patrimônio pequeníssimo, seu prédio é espaçoso e tem quatro salas para operações e um gabinete dentário.

Sua frequência média anual é de 500 enfermos, sem merecer jamais subvenções publicas.

Três Confrarias de S. Vicente de Paula distribuem grande numero de esmolas e mantém um collegio com prédio próprio e aulas nocturnas.

Para coccorrer aos necessitados das sêccas periódicas, fundou-se em 1915 o Apostolado da Caridade que distribue alimento, roupa, alojamento e procura collocar os imigrantes flagelados.

Além do grupo catholico, que é o predominante e em grande maioria, cujas associações de caridade já foram nomeadas, há em Parnahyba duas grandes correntes philosophico-religiosas que procuram distribuir o bem pela palavra e pela ação.

Os espiritas, assim, distribuem esmolas e remédios, conforme as forças da sua associação. As duas lojas maçônicas por sua vez fazem grande obra de assistência entre os seus filiados.

Outra corrente religiosa que tem tomado intensidade pela propaganda escripta e falada, tem sido aquella da nova corrente espiritualistica nas suas principaes modalidades (theosophia, metapsychica, ocultismo, bahiahismo, naturismo, ordem da estrela, etc.).

Existem também em Parnahyba representantes do mosaismo, do anglicanismo, positivismo e livres pensadores. No entanto não se nota um acto de intransigência e de agressividade.

POPULAÇÃO – A condesação demográfica do município é uma das melhores do Piauhy porquanto é, segundo o último recenseamento, de cerca de 8 habitantes por kilometro quadrado (31.000 para 4.000 Klm²).

A parte urbana contou 12.000 sobre uma superfície de mais de 200 hectares.

Na zona rural há três povoados de importância que são: Morros, na Ilha de S. Isabel; S. Miguel ao centro norte do município e Frecheiras na extrema oriental, a cinco léguas do ceará. Nenhum deles, porém, alcança mil habitantes.

ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA – De conformidade com a Lei Organica Municipal do Piauhy, a nossa idade é administrada por um Intendente como Poder Executivo e por uma câmara legislativa composta de sete conselheiros.

Como Repartições municipaes se contam a Repartição de Terras, a Directoria de Saude e a Procuradoria.

Todos os outros departamentos estão subordinados a estes.

Existem directorias especiaes dos armazéns, do mercado e da Usina Electrica Municipaes.

O Fisco Estadual é representado por uma Mesa de Rendas, com armazéns especiaes, e o federal pela Alfandega e fiscais de consumo.

A policia é estadual e é representada por um delegado, com um destacamento militar, actualmente de 10 praças.

A Alfandega recebe guarda de um destacamento federal.

A agencia do Correio é considerada de segunda classe e a do telegrapho de terceira.

A Saude do Porto está a cargo de uma repartição federal bem como a Capitania.

Existem também delegacias federaes de veterinária, serviço do algodão e inspectoria agrícola.

A inspecção de cambiaes é feita pela Alfandega.

A divisão policial do município está feita em três districtos, sendo o primeiro a cidade e parte rural até o Braz; o segundo Ilhas e o terceiro Frecheiras.

Todo o município constitue um termo judiciário, com um juiz de direito formado, um juiz distrital e um promotor, também formados, três suplentes de juiz, um adjuncto de promotor, nove advogados e um solicitador; dois cartórios de escrivães e tabeliães, um de casamentos e registo civil, um distribuidor e contador, bem como o pessoal subalterno.

A CIDADE – Nascida de uma fazenda de gado como muitas de suas irmãs brasileiras, a cidade de Parnahyba começou por um agrupamento sem ordem nem alinhamento. Estas casas dispares foram-se ligando pela construções novas; de tudo resultando o núcleo central da povoação actual.

Como se vê, nascida com estes defeitos e prosseguida sempre sem medidas coercitivas que os corrigissem, formaram-se as ruas da cidade irregulares, cheias de curvas pronunciadas sem orientam.

Grande numero delas terminam em praças triangulares, por uma circumstancia especial do terreno onde se distribue a cidade velha.

A maior parte de suas ruas no emtanto corre de O. para L. e os becos de N. a S., procurando respectivamente se concentrarem na estrada de Amarração e na de Burity.

Só hoje a Cidade Nova, conforme a planta levantada em 1914, está se formando sob alinhamento em quarteirões, já demarcados em numero de 40, cada um com 100 metros em quatro, com ruas de 20 mwtros de largura e avenidas de 30 metros.

Na parte urbana há 15 ruas e 12 travessas com oito praças.

A iluminação é a luz electrica, com artisticoa postes de ferro.

Na praça da Matriz há um jardim de quatro mil metros quadrados e um magnifico coreto de feroo e cimento armado.

Duas igrejas existem nessa praça, uma das quaes a de N. S. da Graça, só encontra rival no Estado nas de S. Benedito em Theresina e do carmo em Piaracuruca.

A construção dos prédios em geral é excelente, sendo notáveis pela solidez ou pelo estylo moderno os do Banco do Brasil, Casa Inglesa, Madeira Veiga & C., Dr. Armando madeira, Dr. Mirocles veras, Dr. Samuel Santos, Antonio Borges, Moraes & Santos & C., armazéns municipaes e mercado publico.

O numero de prédios coletados é de 1036 e o de fogos, incluindo casas de palha, ascende a quase 400.

O valor locativo dos prédios urbanos é de Rs 3.980:300$000, redendo ao estado 30:200$000.

Parnahyba é a pátria de Simplicio Dias da Silva, José Basson de Miranda Osorio, Leonardo C. Branco, Desembargador Salles, Dr. Fernando Pires Ferreira (o segundo oculista brasileiro), Jonas da Silva e dos Marechaes Francisco Rodrigues Salles e Pedro Ivo.

TERMINANDO – A leitura destes apontamentos sobre Parnahyba poderá deixar certa duvida no espirito do leitor extranho ao nosso meio. Parecerá que muita coisa foi impropriamente e muita outra extemporaneamente exposta. Necessário se torna por isso dizer que mais quisermos historiar um esforço e um esboço, do que uma realização. Esta será a Parnahyba futura, cidade gloriosa e potente quando o Piauhy, grande pelo esforço dos seus filhos, puder prezar, aparelhar e enriquecer o seu porto de mar e nelle preparar a sua sala de visitas. 

Lima Rebelo