Secretaria de Transportes quer organizar o trânsito, diz secretário

Compartilhe: wapp

O Secretário Municipal de Transportes, Trânsito e Articulação com as Forças de Segurança, Maurício Machado Jr., esteve reunido na manhã desta terça-feira (12) com alguns representantes dos que fazem o transporte intermunicipal, a fim de lhes explicar a respeito da rota desses transportes, que consta de um decreto assinado ainda na gestão do ex-prefeito José Hamilton e que passou agora por algumas adequações visando a melhoria do trânsito no centro da cidade.

35273270_2207652395916771_2331480691205734400_n

“Demos início hoje a uma campanha educativa de trânsito. A Guarda Civil Municipal esteve no local onde esses transportes param irregularmente – ali ao lado da Santa Casa, causando, inclusive poluição e criando tumulto na Praça Antônio do Monte. A orientação é que eles passem a fazer o estacionamento de embarque e desembarque de passageiros pelo Mercado da Quarenta, que é mais amplo e a lateral do mercado está toda sinalizada, com área apropriada para pararem os veículos”, explicou o secretário.

Maurício Machado disse também que a campanha iniciada hoje vai até a conclusão da obra do Terminal que está em construção nas imediações do mercado. “Disseram que é perseguição, mas não é nada disso. Eles (os permissionários) vieram aqui e agendamos uma reunião para a próxima terça-feira, com o representante da Secretaria Estadual de Transportes, o Comandante da Polícia Militar e o Chefe da Polícia Rodoviária Federal em Parnaíba, porque todas as pendências deles são de responsabilidade do Governo do Estado, que não fiscaliza os operadores do transporte intermunicipal. O transporte municipal, a cargo da Coopertransp, é fiscalizado pelo município: vistoriamos ônibus, há cadastro de motoristas e cobradores, etc., e essa fiscalização dos intermunicipais dever ser feita pelo Governo do Estado que não faz isso há muito tempo”, pontuou o secretário.

35295855_2207652295916781_3920737630039310336_n

Ele disse ter sido informado também que outro ponto de desavenças entre os operadores desses transportes é a irregularidade como se encontram alguns. “Nós temos um decreto municipal que assegura um roteiro para quem está legalizado. E isso é simples. Eles conhecem o roteiro. Então os legalizados vão cumprir o decreto. Essa não legalização dos outros é o ponto de discórdia, mas não é confusão”, finaliza Maurício.

Fonte: Supcom